Flacidez pós-parto: causas e o que fazer para evitar

A flacidez é uma ocorrência normal na vida de qualquer um, principalmente no pós-parto. Pelo fato do corpo passar por várias mudanças durante o período da gravidez, como a barriga crescer para acomodar o bebê, é normal que a pele e os músculos passem por um estiramento. Isso ocorre após o ganho de peso, bem como o aumento do volume corporal. Após o nascimento do bebê, aos poucos o corpo retorna ao que era antes. Todavia, existem casos onde a pele segue repuxada em regiões como a barriga. Essa é a conhecida flacidez pós-parto.

Existe ainda o caso de mulheres que passam por uma gestação mais velhas terem mais chances de sofrer com a flacidez pós-parto do que as mais novas. Nesse caso, a condição da diástase abdominal, que consiste no afastamento dos músculos do abdômen e do tecido conjuntivo da região, também está aliada ao envelhecimento natural da pele. Além de causar desconforto, o problema também pode afetar muito a autoestima feminina.

Seja como for, a flacidez pós-parto possui solução. Aliando diferentes cuidados à sua rotina após a gestação, é possível recuperar seu antigo aspecto ou até mesmo melhorá-lo. Dessa forma, confira abaixo tudo que você precisa saber sobre a flacidez pós-parto. Aproveite também para descobrir seus principais motivos, como evitá-los e o que fazer para reverter o problema.

A flacidez pós-parto

Flacidez pós-parto
Fonte: Steelfit

Os primeiros sinais de que a flacidez irá surgir são fáceis de reconhecer. Normalmente, a barriga costuma cair por cima da calcinha ou a pele sofre enrugamento. Todavia, sua ocorrência é essencial para a gravidez. O processo é extremamente natural para o corpo, já que é preciso de espaço para o útero crescer. Assim, não há como impedir a flacidez pós-parto, mas sim amenizar seus efeitos da melhor forma possível. Exercícios físicos para a manutenção do tônus, por exemplo, são uma ótima forma de começar.

Além disso, para quem se preocupa com o aspecto da pele depois da gestação, adotar certos cuidados ainda durante a gravidez é uma ótima forma de não sofrer tanto com o resultado. Gestantes precisam investir em uma alimentação balanceada, prestar atenção ao peso e beber muita água. Nesse sentido, não é apenas o crescimento do útero que pode causar a ruptura das fibras elásticas da pele, mas também o aumento de peso por falta de cuidados na parte da saúde.

Durante a gravidez, também é possível realizar exercícios de baixo e médio impacto para manter a saúde e ajudar o corpo a se adaptar às mudanças. Por fim, os cuidados devem ser intensificados durante o último mês da gestação. Isso é feito por meio de produtos tópicos aprovados pelo obstetra que ajudem a tonificar a pele e diminuir seu relaxamento.

Principais motivos da flacidez pós-parto

Apesar da situação ser natural e difícil de evitar, existem ainda outros motivos que intensificam o aspecto flácido da pele pós-parto. Normalmente, estão relacionados aos maus hábitos durante a vida e a gravidez, tanto alimentares quanto de saúde no geral.

1 – Pouca hidratação da pele

Fonte: Blog Grão de Gente

A hidratação é essencial para que a flacidez não seja tão agressiva. O emagrecimento rápido após a gestação leva ao aumento da produção de radicais livres, algo que danifica o colágeno. Assim, o aumento da distensão da pele ocorre. De forma que as fibras de colágeno e elastina possam suportar a derme esticando tão drasticamente, é preciso hidratá-la constantemente.

2 – Alimentação desbalanceada

Flacidez pós-parto
Fonte: Drogaria Santo Remédio

Uma alimentação rica em açúcar e industrializados é outro dos motivos que mais causam flacidez. Normalmente, entrar em dietas restritivas e não ingerir uma quantidade suficiente de proteína contribui para a perda de colágeno, essencial para a elasticidade da pele. Da mesma forma, quando se consome muito açúcar, o elemento promove no organismo a glicação, onde carboidratos como a glicose se ligam de modo permanente e danificam proteínas como a do colágeno.

3 – Maus hábitos no geral

Fonte: Deposit Photos

Fumar cigarro, consumir álcool em excesso e tomar muito sol também auxiliam no aparecimento da flacidez pós-parto. Tais fatores, afinal, são responsáveis por acelerar a perda de colágeno da pele. Bebidas alcoólicas estão carregadas de açúcar, que é um dos maiores inimigos do bom aspecto da pele. A exposição ao sol, por sua vez, destrói as fibras colágenos por meio da elastose solar, que deixa a pele mais fina e com poros e vasos dilatados. No caso do tabagismo, quem costuma fumar está automaticamente suscetível ao envelhecimento precoce.

4 – Perda natural de colágeno

Fonte: Costa Norte

No caso de uma gravidez com mais idade, é normal que a gestante esteja suscetível à perda natural de colágeno e elastina do envelhecimento. Depois dos 25 anos, a produção de colágeno e elastina pelo organismo diminui bastante, o que contribui para o surgimento da flacidez, rugas e linhas finas.

Dicas para evitar a flacidez pós-parto

Mesmo que boa parte das alterações que ocorrem durante a gravidez sejam agressivas, o corpo ainda está perfeitamente preparado para retornar ao que era antes. Com tempo e paciência, é possível introduzir uma nova rotina de cuidados e recuperar a forma sem muita dificuldade.

1 – Hidrate a pele

Flacidez pós-parto
Fonte: Mobraz

Ainda durante a gravidez, uma das partes mais importantes para ajudar a evitar a flacidez pós-parto está na hidratação da pele. O hábito pode prevenir o surgimento de estrias profundas, bem como diminuir a irritação e a sensação de coceira causada pelo ressecamento da pele. No banho, por exemplo, é possível utilizar óleos como o de amêndoas ou semente de uva, enxaguar rapidamente e secar com delicadeza com uma toalha.

2 – Pratique exercícios físicos

Flacidez pós-parto
Fonte: Vecteezy

Depois de um parto normal, a prática de exercícios físicos estará liberada a partir de 2 ou 3 semanas. No caso de uma cesárea, de 4 a 6 semanas. É importante lembrar que esforços abdominais devem ser evitados por mulheres que passaram por cesáreas. De início, apenas empurrar o carrinho do bebê em passeios já é de grande ajuda. Depois, já será possível partir para uma esteira ou bicicleta ergométrica, de acordo com as recomendações médicas.

Aulas de yoga, por exemplo, são uma ótima pedida para fortalecer a musculatura da barriga. As diferentes posições tonificam o corpo e ajudam os órgãos a retornar aos seus locais de origem.

3 – Beba água e alimente-se bem

Fonte: Kaliandra

É essencial beber aproximadamente 3 litros de água por dia para estimular o funcionamento dos rins e acabar com a retenção de líquido. Além disso, para quem ainda está amamentando, beber água é importante para produzir leite. Nesse sentido, amamentar também é uma ótima forma de perder peso. Estima-se que é possível perder cerca de 750 calorias por dia assim.

Da mesma forma, alimentar-se bem antes, durante e depois a gravidez ajuda a manter o peso ideal e ainda evitar outros milhares de problemas relacionados a uma alimentação desbalanceada. Durante a gravidez, por exemplo, consumir 300 calorias a mais do que o esperado por dia já está de bom tamanho. Quanto às vontades, encher a geladeira de frutas e verduras ao invés de besteiras ajuda a controlar a compulsão.

4 – Faça outros tratamentos para flacidez

Fonte: Studio Carolina Oliveira

Se preciso, tratamentos como a drenagem linfática podem ajudar muito. A drenagem estimula a circulação reduzindo a retenção de líquidos, bem como diminui o inchaço, principalmente do abdômen. Existem ainda outros tratamentos estéticos mais específicos que podem ser aplicados no caso das estrias incomodarem muito. A aparência da pele já deve melhorar, apesar de não eliminar completamente as linhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *