Respira e Brinca

A nova geração de pais e mães trouxe ao mercado diferentes necessidades. Com olhar atento para as questões envolvendo sustentabilidade, eles buscam, cada vez mais, alternativas que contribuam com o meio ambiente e com a educação de seus filhos.

A escolha dos brinquedos, que podem ser uma importante ferramenta para o desenvolvimento do bebê e da criança, está nesse contexto. É nisso que acredita Lara Coletti, 36 anos, que há três está à frente da Respira e Brinca.

Com seu companheiro Douglas Lehn, 36, ela cria brinquedos artesanais de madeira que tem como objetivo desenvolver os sentidos dos pequenos.

Graduada em Artes Plásticas, Lara trabalhava como cenógrafa e arte educadora. Durante uma visita à marcenaria de um amigo, lhe despertou a vontade de transformar as ideias que tinha em itens lúdicos.”Sempre gostei muito dos brinquedos, da infância em si, das crianças e de criar formas de me conectar com elas”, lembra sobre os primeiros passos da Respira e Brinca.

No ano seguinte, com o início da gestação de seu filho, Romã, Lara decidiu migrar da Capital para Portão e, assim, Douglas passou a fazer parte da empreitada.”Decidimos comprar as máquinas e assumir a produção. Ele é serralheiro de formação, então tinha um know how com máquinas de corte. Já fazia trabalhos manuais e tem uma sensibilidade e uma desenvoltura para trabalhar com esse tipo de equipamento”, conta.

Todas as etapas do desenvolvimento dos brinquedos são feitas pelo casal. “Fazemos tudo na nossa casa. A parte que mais gostamos é descobrir um brinquedo novo, pesquisar e ver ele nascer”, revela.

Os quebra-cabeças de madeira de floresta estão entre as primeiras criações de Lara e custam R$ 150,00. Os alinhavos, pequenas peças de maneira que simulam o movimento da agulha em um tecido, custam R$ 70,00 e possuem três variações para estimular a motricidade de diferentes formas.

A empreendedora conta que os arcos para montar um pequeno arco-íris são os mais indicados para bebês, já que cabem nas mãos e não levam nenhuma tintura, tornando a brincadeira mais segura. Todos os produtos são pensados para desenvolver os sentidos.”São sensoriais porque a madeira tem textura, cheiro, um peso, uma temperatura, um gosto.

São todas coisas que precisam ser estimuladas nas crianças e nos bebês logo na primeira infância, porque é pelo corpo que as crianças conhecem o mundo em que elas estão inseridas”, explica Lara.Durante a pandemia, a dupla desenvolveu uma prancha de equilíbrio, pensando nas crianças que estavam muito tempo em casa e precisavam se movimentar.

“Já estava no papel há um tempo e acabou saindo durante a pandemia. É um brinquedo muito legal. Tem também o vira e mexe, dois círculos que, com o mínimo impulso, saem andando. Estimula a criança naquele momento que ela está começando a se arrastar”, pontua Lara.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta