Veja como economizar nos presentes de Natal com opções de até R$ 50

Veja como economizar nos presentes de Natal com opções de até R$ 50

Neste ano atípico de 2020, muitos brasileiros pretendem gastar menos com os presentes de Natal. De acordo com uma pesquisa divulgada pela Federação Nacional dos Bancos (Febraban), nesta quinta-feira, 77% das famílias brasileiras pretendem reduzir os gastos nas festas deste final de ano.

Por outro lado, 6,7 milhões de pessoas ainda tem planos de presentear os familiares neste natal, segundo informações Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ).

Quais produtos devem estar mais caros?

Diversos produtos estão mais caros neste final de ano, principalmente os importados e lançamentos, como explica o economista Gilberto Braga. “Com a desestruturação da economia, há grandes variações de preços, até mesmo numa mesma marca ou linha de produtos. Isso se dá por conta da desvalorização do Real em relação ao dólar.

A consequência é o aumento no preço de produtos importados como celulares, eletrônicos e computadores, por exemplo. Coleções novas ou produtos recém fabricados, também sofreram alterações nos valores, devido a falta de matéria-prima no mercado nacional, que aumentaram os custos de produção”. 

Com o aumento dos preços, como fazer para economizar?

Para economizar nesse natal, uma dica atemporal que não perde o seu valor: o bom e velho garimpo. “Uma dica para economizar é procurar por produtos que já tem sido fabricados ou importados há mais tempo, antes do início da pandemia, que certamente custarão menos dos que os mais recentes. Um modelo de uma peça de roupa clássica ou permanente custa até 50% menos do que um modelo da coleção 2021. Esse raciocínio é geral, porque os estoques mais antigos,  não sofreram os aumentos dos custos de produção ou da desvalorização do Real, por isso têm preços menores. É preciso ficar atento e garimpar nas lojas online e físicas”, orienta Gilberto. 

Priorizar quem presentear também é uma opção!

Com a pandemia, o ideal é que as festas natalinas sejam reduzidas, apenas com os familiares mais íntimos e isso pode ser benéfico na hora de economizar. “Se houver um novo isolamento na sociedade, teremos mais demissões e prejuízos generalizados. É preciso economizar para não faltar dinheiro depois. Será o Natal do comedimento com os presentes, que só devem ser comprados para as pessoas muito próximas, até porque as confraternizações serão predominantemente virtuais, logo também vale mandar mensagem de Natal virtual, que é de graça”, reforça o economista.

Além de economizar no presente, é preciso estar atento ao futuro incerto: “diante da crise é preciso ter muito cuidado com os gastos, montando-se um orçamento de guerra até meados do ano que vem. Não sabemos se vão vir novas restrições, por isso, deve-se economizar até que as notícias sobre as pesquisas sobre as vacinas, compra, distribuição e imunização sejam mais efetivas”, finalizou Gilberto. 

Please follow and like us:
Economia