O que é candidíase? Sintomas, tipos e como tratar

O que é candidíase? Sintomas, tipos e como tratar

Se você está sentindo coceiras, dor, vermelhidão e/ou mal cheiro em seus órgãos genitais, é melhor ficar de olho: provavelmente você está com Candidíase. Estima-se que até 75%  das mulheres tenham, ao menos, 1 episódio de candidíase durante a vida.

Além disso, a doença tem vários outros tipos e, pode acontecer em órgãos masculinos, pele, unhas, garganta, boca e até na corrente sanguínea.

O que é Candidíase Vaginal?

Saiba o que é candidíase vaginal
Foto: ISM

A candidíase é uma infecção causada pelo fungo candida. O fungo já está presente no organismo feminino e vive em equilíbrio com a flora vaginal, a causa da candidíase se deve, portanto, ao aumento deles no organismo e a baixa imunidade, o que faz com que o corpo perca os recursos necessários para contê-lo.

A candidíese, apesar de poder ser contraída no sexo, não é considerada um IST (Infecções sexualmente transmissível). Ou seja, pessoas que ainda não tiveram relações podem ter a infeção.

Quais os  sintomas?

Cada pessoa é única, portanto a candidíase pode se manifestar de diversas formas em diferentes sistemas imunológicos. Entretanto, entre os sintomas mais comuns está a coceira vaginal, corrimento branco com cheiro forte, ardência na região externa da vagina (vulva), inchaço nos lábios vaginais, ardência ao fazer xixi e dor durante as relações sexuais.

Como prevenir?

Primeiramente, é imprescindível ficar atenta aos cuidados para não sofrer com a infecção, isso porque o tratamento para candidíase não tende a ser agradável, muito menos os seus sintomas.

Uma dica é calcinhas para dormir. Pode parecer estranho, mas os tecidos sintéticos costumam impedir a passagem de ar para a região íntima, superaquecendo e abafando a vagina. Entretanto, caso você não se sinta bem dormindo sem calcinha, opte sempre pelas de algodão.

Além disso, é indicado o uso de roupas menos apertadas e tecidos mais leves. Evite as calças e shorts jeans muito justos.

Qual o tratamento para Candidíase?

Antes de mais nada, procure um(a) médico(a) ginecologista para avaliar o seu caso. Após isso, é possível que seja passado tratamentos comuns como o uso de Fluconazol e pomadas antifúngicas, como, por exemplo, Gyno-icaden, Canesten e Vodol.

Caso você tenha um parceiro, converse com ele para identificarem se ele também está com algum sintoma, já que a infeção pode ser transmitida no sexo.

Candidíase na gravidez

Foto: Guia infantil

No decorrer da gestação ocorrem muitas mudanças no corpo feminino, entre elas está a maior vascularização nos órgãos genitais e o aumento na produção de lactobacilos. Além disso, há uma grande mudança no PH da vagina, que a torna mais ácida e favorece para a reprodução dos fungos candida, que causam a candidíase.

Outros tipos do fungo

Candidíase masculina (balanopostite)

Foto: Tua Saúde

Conhecida como candidíase no pênis ou balanopostite, este fungo cândida não é tão comum quanto o vulvovaginal. Na maioria dos casos, a candidíase masculina é causada por problemas de saúde, como, por exemplo, diabetes e mal higiene.

Candidíase na boca

Foto: Folha Vitória

Para saber se você está com candidíase na boca, fique atento(a) aos sinais como aftas e dificuldade para engolir. Esse tipo pode acontecer com crianças, idosos, diabéticos e adultos.

Candidíase de esôfago

Foto: H9J

Também chamada como esofagite, a candidíase de esôfago, diferente das outras, é causada pelo fungo candida albicans. Essa doença é muito rara e acontece principalmente em pacientes de baixa imunidade, como portadores de AIDS e câncer.

Na pele (Intertrigo)

Foto: Pinterest

Esse tipo de candidíase ocorre, principalmente, devido ao atrito entre as peles, criando pequenas lesões, o que proporciona o ambiente perfeito para a proliferação de bactérias e fungos, como o fungo intertrigo candidiásico.

As partes do corpo mais afetadas pela doença são: as axilas, virilha, nádegas, barriga, pescoço, mamas, dedos das mãos e dos pés, além da parte interna das coxas.

Candidíase invasiva

Foto: PebMed

Por ser uma infecção que afeta mais pacientes recém-nascidos e com a imunidade comprometida, a candidíase invasiva acaba ocorrendo mais em hospitais.

Esse tipo afeta a corrente sanguínea, portanto, pode afetar qualquer órgão, como cérebro, baço, rins e olhos, e causar sérias complicações. Em casos muito graves, ela pode evoluir para uma candidemia e ser fatal.

Fontes das imagens: Paranavaí, ISM, Guia Infantil, Tua Saúde, Folha Vitória, H9J, Pinterest, PebMed.
Fontes: ISM, Bulário, Gino Canesten, Minha Vida,

Saúde